Porquinho, estilo cofre, com dinheiro - referindo a Taxa Selic e como afeta seu dinheiro Porquinho, estilo cofre, com dinheiro - referindo a Taxa Selic e como afeta seu dinheiro

O que é a taxa Selic e como ela afeta seu dinheiro?

Se você acompanha as notícias relacionadas à economia, provavelmente já ouviu falar da taxa Selic. Ela aparece em investimentos, nos jornais, possui um papel importantíssimo na economia e afeta também a sua vida financeira! Acompanhe a leitura para entender do que se trata a taxa Selic, e para que ela serve.

O que é a taxa Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. O sistema é administrado pelo Banco Central, e nele são transacionados títulos públicos federais. A taxa média de todas essas transações (empréstimos de curto prazo, realizados no mesmo dia) é referente à taxa Selic.

A Selic é um indicador importantíssimo, já que representa os juros básicos de toda a economia brasileira. Logo, ela tem influência direta em todas as outras taxas de juros no país, como a taxa de juros do seu cartão de crédito, as taxas cobradas em empréstimos, financiamentos e até de retorno em aplicações financeiras.

A meta da taxa Selic é definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), para assegurar a estabilidade dos preços no país. Ou seja, para conter a inflação. De 45 em 45 dias, o órgão se reúne para definir se a Selic se mantém, aumenta ou diminui. 

Como funciona a taxa Selic?

Para explicar como funciona a taxa Selic, primeiro é preciso entender a necessidade básica de qualquer governo: ter dinheiro para fazer investimentos e pagar dívidas. A principal forma de arrecadação é através dos impostos, mas outra forma de arrecadar dinheiro é com empréstimos – como por meio dos títulos do Tesouro Nacional.

Os títulos do Tesouro são certificados de dívida emitidos e vendidos pelo próprio governo através do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (ou seja, Selic!). Quem compra o título ganha o direito de, em determinada data, receber o valor de volta com o acréscimo de juros.

A maioria dos títulos do Tesouro é comprada por grandes instituições financeiras. Isso ocorre porque, por lei, toda instituição é obrigada a depositar uma parcela dos depósitos recebidos no dia em uma conta no Banco Central. Trata-se de uma maneira de controlar a quantidade de dinheiro em circulação, evitando o aumento da inflação.

E, como as instituições financeiras realizam milhões de operações todos os dias, é comum chegar no fim do dia com uma quantia maior ou menor do que deveriam ter na conta do BC. Neste caso, elas são obrigadas a pegar empréstimos com outros bancos para cumprir a lei.

Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com a Selic, não é? 

Normalmente, esses empréstimos são de curtíssimo prazo. O tempo entre a retirada e o retorno do valor ocorre em torno de 24 horas. Como garantia, as instituições oferecem os títulos públicos adquiridos pelo Banco Central. 

Isso é importante para entender a diferença entre Selic Over e Selic Meta.

  • Taxa Selic Over: É a taxa de juros praticada quando uma instituição financeira empresta dinheiro para a outra e utiliza, como garantia, os títulos públicos adquiridos no Banco Central.
  • Taxa Selic Meta: A Selic Meta é o que você está acostumado a ouvir: a taxa básica da economia brasileira. Ela serve como parâmetro para outras taxas do mercado, e tende a ser a menor taxa na economia.

Por que a taxa Selic é importante?

A taxa Selic foi criada no ano de 1979, período em que a economia brasileira estava enfrentando um cenário de hiperinflação. Portanto, ela nasceu com o objetivo de controlar a inflação. Qualquer mudança que o Banco Central do Brasil fizer na taxa, resultará em uma alta ou queda da inflação.

Podemos dizer que o Banco Central, ao aumentar a Selic, tem como objetivo desacelerar a economia, impedindo a inflação de ficar muito alta. E, ao baixar a Selic, tem como objetivo estimular o consumo e aquecer a economia, aumentando a inflação quando ela está abaixo da meta.

Até hoje, a Selic serve como uma referência para a economia, um indicador da nossa situação econômica.

Como a taxa Selic impacta a economia

A taxa Selic exerce um impacto significativo em diversos aspectos da economia. Acompanhe:

Impacto no consumo

A Selic pode afetar o consumo das famílias de diferentes formas. Quando o Banco Central decide reduzir, as taxas de juros dos empréstimos e financiamentos tendem a diminuir, e o crédito fica mais barato e acessível. Ou seja, com os juros mais baixos, as pessoas são incentivadas a tomar empréstimos para adquirir bens duradouros, como carros e imóveis, ou também para financiar despesas de consumo como viagens e eletrodomésticos.

Impacto no crédito

A taxa Selic possui um papel importantíssimo na determinação das taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras em suas operações de crédito, como explicado acima. O que quer dizer que, quando a taxa Selic está alta, as taxas de juros de empréstimos e financiamentos tendem a ser elevadas, tornando o crédito mais caro.

Dessa forma, as pessoas e empresas podem se sentir desencorajadas a fazer empréstimos, levando a uma redução do consumo e do investimento.

Impacto nos investimentos

A taxa Selic também possui forte influência sobre os investimentos financeiros, especialmente aqueles atrelados à renda fixa. Quanto a taxa está alta, os investimentos em títulos públicos e outros produtos de renda fixa oferecem retornos mais atrativos. Por outro lado, quando a taxa está baixa, os rendimentos dos investimentos em renda fixa ficam menores, levando os investidores a buscar alternativas com maior potencial de retorno.

Impacto no câmbio e preço do dólar

O aumento ou queda da Selic também reflete no câmbio, principalmente no que se refere ao dólar. Quanto maior a taxa de juros, maior o grau de investimentos estrangeiros no país e vice-versa. Isso ocorre porque com essa taxa alta, os investimentos atrelados a ela se tornam mais atrativos para investidores de outros países.

Logo, quanto está elevada, a Selic atrai capital estrangeiro para dentro do Brasil. E com uma maior oferta de moeda estrangeira no país, principalmente o dólar, o real se valoriza frente a essas moedas.

Com a desvalorização da moeda norte-americana, o custo da importação diminui, fazendo com que os produtos importados fiquem mais baratos. Assim, o Brasil aumenta o nível de importação, aumentando a concorrência entre produtos nacionais e importados, acompanhando uma redução nos preços e, consequentemente, uma queda da taxa da inflação.

O que faz a taxa subir e cair?

Os membros do Copom, para definir a taxa Selic, levam em consideração alguns fatores básicos, como o perfil dos títulos públicos federais negociados, nível de emprego e renda da população. Com relação aos títulos públicos, os juros cobrados estão atrelados ao prazo de vencimento e ao risco envolvido nas operações; quanto maior o prazo de vencimento, mais interessante é para quem vende, que aceita pagar um juro maior.

O risco dos títulos também influencia os juros. Quanto mais arriscada for a aplicação, maior a compensação. A inflação também é um fator importante na influência no aumento ou redução da taxa.

Como investir na taxa Selic?

É importante entender que o impacto da taxa Selic é diferente de acordo com cada tipo de investimento. Saiba como investir com a taxa Selic:

Em alta

Para os investimentos de renda fixa, os períodos de alta da Selic são mais favoráveis, e possuem mais chances de ter maior rentabilidade. Nos títulos de renda fixa, o impacto é imediato, pois esses títulos sofrem interferências visíveis no aumento e queda da taxa.

No caso dos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, a remuneração do título é a própria taxa. Ou seja, quando há uma alta ou baixa dos juros básicos, o investidor percebe o impacto na rentabilidade na hora.

Em baixa

Nos investimentos de renda variável, ocorre o contrário. Quando a Selic está em queda, é possível obter um maior retorno por causa dos juros baixos. 

Na renda variável, os ativos com ações negociadas na bolsa de valores sofrem um impacto indireto da alta e da baixa da Selic. Com a taxa baixa e o consumo impulsionado, as empresas tendem a vender mais e terem melhores resultados com as ações e seus dividendos.

E, além de estimular o consumo, a queda do valor também reduz o custo de crédito das empresas, facilitando investimentos e a expansão do negócio.

Qual é a taxa Selic hoje?

Tabela com taxa selic atualizada
O que é a taxa Selic e como ela afeta seu dinheiro? 4

Atualmente, a taxa Selic está em 13,25% ao ano. Ela foi decidida no dia 21 de junho de 2023 pelo Copom, que decidiu manter a taxa novamente.

                                Mês                                2023
Janeiro1,12%
Fevereiro0,92%
Março1,17%
Abril0,92%
Maio 1,12%
Junho1,07%
Julho1,07%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *